19.4.07

Conheces por dentro cada flor deste jardim.
Enquanto falas, em aparente repouso
na raiz dessa luz entre as tuas coxas,
a minha mão aberta.
Aguarda outra manhã igual que não o seja.

Por vezes, devia sobrar o infinito que vivemos
no lugar do frémito, da pele que se deseja.

6 Comments:

Blogger alice said...

prazer maiúsculo.

7:25 da tarde  
Blogger Sofia Loureiro dos Santos said...

Gostei.

8:43 da tarde  
Blogger Once In a While said...

prazer de escrever .. gostei :)

10:30 da manhã  
Blogger João Villalobos said...

Fico feliz por terem gostado. Isto aqui anda muito parado, mas prometo voltar sempre que possa... :)

4:10 da tarde  
Blogger maria said...

Arrasante, como sempre.

Um beijo (cheio de saudades).

6:13 da tarde  
Blogger AF said...

também gostei.

10:29 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home