2.12.06

numa livraria dos subúrbios

com certeza não tem a voz da terra do Miguel Real
mas eu acenei com a cabeça e disse que sim, ali está,
entre dois outros livros pouco interessantes e, talvez,
muito mais propícios a finais de semana nos subúrbios.
passava-se com um toque de violinos em fundo,
esta cena de livraria ao sábado à tarde, numa fotografia
onde, para além do autor, uma mulher bonita lia e chorava.

com certeza não tem a voz da terra, esse romance com autocolante
premiado sobre a capa, porque normalmente esses romances
desaparecem com as devoluções trimestrais à editora
e o trimestre, por ser de natal, acabou mais cedo - por certo
não fará parte de nenhuma campanha natalícia com descontos
a quarenta e dois por cento por exemplar comprado em atacado
porque ninguém vai ler esses romances históricos na pausa de natal.

com certeza não tem a voz da terra e eu disse-lhe que sim, ali,
e o senhor de bigode sorriu, encaminhou-se para o monte de livros
no chão, pegou num exemplar e, lendo a contracapa, disse em voz
segura, "vou levar", e eu fiquei contente porque o normal numa livraria,
ainda para mais em finais de semana nos subúrbios, não é vender livros
assim, é muito mais normal vender uma coisa barata para o aniversário de
um coleguinha da escola ou então não vender mesmo nada.

e agora que o senhor que se transformou em meu cliente
levou para casa a voz da terra do miguel real, na fotografia volto
a ficar só eu e esta linda mulher que lê e chora, sentada ao meu lado,
ambos um pouco erectos nas nossas poses de modelos fotográficos
captados por lentes que talvez estejam sujas, que talvez deixem para
a posteridade, alguns grãos de pó gravados sobre a imagem, sobre esta
imagem de um sábado à tarde numa livraria dos subúrbios.

4 Comments:

Blogger Valex said...

Que poema tão doce, Luís!

5:50 da tarde  
Anonymous Blota said...

Gosto sim dos fins de semana na "paisagem",
não nos subúrbios, mas ainda + além..

(Portugal é Lx. e o resto é paisagem...)

de preferência com um livro sim..
o melhor do momento.. o bom companheiro

6:38 da tarde  
Blogger JPN said...

gostei do poema. como tinha gostado do livro. como gosto do seu autor. :)

9:15 da tarde  
Blogger JPN said...

gostei do poema. como tinha gostado do livro. como gosto do seu autor. :)

9:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home